Por Ana Júlia Ramos

Redatora freelancer da Rock Content

Publicado em 11 de fevereiro de 2019. | Atualizado em 30 de abril de 2019


Proatividade é o ato de agir rapidamente e de modo estratégico, ou seja, é “tomar situações” para si mesmo, pegar para fazer e desenvolver atitudes capazes de prever problemas e agir antes mesmo de eles acontecerem.

Pense nas suas principais características como profissional de marketing. Se “proatividade” passou pela sua cabeça, você faz parte de um grande grupo que acredita carregar consigo essa qualidade tão valorizada no mercado de trabalho.

Mas será que, de fato, você é uma pessoa proativa? De todas as vezes que a palavra foi dita ou ouvida por você, quantas delas foram realmente genuínas?

Neste post, vamos ajudar você a compreender de uma vez por todas o que é ser proativo e o motivo de muita gente se confundir em meio a conceitos aparentemente similares, mas com significados bem diferentes.

Vamos lá?

A definição de proatividade

A popularização do termo fez com que ele se tornasse característica praticamente unânime na personalidade de qualquer profissional, porém, na prática, é muito simples encontrar pessoas proativas de verdade — e várias delas não passariam na hipótese citada acima.

De forma simples e direta, proatividade é o ato de agir rapidamente com a finalidade de evitar complicações futuras.

É também “tomar situações” para si mesmo, pegar para fazer e desenvolver atitudes capazes de prever problemas e agir antes mesmo de eles acontecerem.

Quando não consegue prever o problema, o proativo se movimenta para trazer qualquer melhora possível para a situação em vez de reclamar enquanto espera a solução cair do céu.

Para exemplificar, pense naquele profissional que está constantemente em atividade, participando de conversas, liderando grupos e situações — não necessariamente em posições de gerência — com a finalidade de fazer com que os processos sigam de forma fluida, correta e sem complicações.

Pessoas proativas não permanecem sentadas na própria mesa esperando as coisas acontecerem: elas se levantam e fazem acontecer.

Além disso, o senso de responsabilidade é desenvolvido de maneira muito legal, já que não existe essa de “o problema não é meu”. Questões negativas são vistas como responsabilidade da equipe como um todo, e não como um fardo a ser exposto de forma desmotivadora.

O que difere proatividade de produtividade e outros conceitos

O fato de a proatividade ter se tornado extremamente popular fez com que, muitas vezes, ela perdesse seu sentido. É muito comum confundir a proatividade com conceitos como a produtividade e usá-los como características que englobam uma série de outros fatores alheios ao que é ser proativo.

Pensando nisso, vamos esclarecer brevemente os conceitos que são confundidos com maior frequência.

Produtividade

A produtividade consiste em uma característica de pessoas que conseguem realizar um bom volume de trabalho no menor espaço de tempo possível.

Ela também pode ser associada quando alguém produz um maior volume de trabalho gastando menos mão de obra ou tendo menor prejuízo, por exemplo.

Pessoas produtivas costumam entregar mais do que a média, podendo ter maior facilidade ao lidar com prazos.

Iniciativa

Ter iniciativa é “pegar para fazer” e acolher demandas para si próprio com facilidade e frequência. Também significa propor coisas novas, ter ideias e, mais do que isso, falar sobre elas e estimular tomadas de decisão

Essa é uma característica fundamental de quem é proativo, porém, as palavras não são sinônimas. A proatividade é a união de várias atitudes menores — uma delas é, justamente, a iniciativa, porém, não é possível resumir o conceito em apenas uma “ subcaracterística ”.

Vamos pensar na iniciativa como uma de várias palavras dentro de um guarda-chuva maior, que é, precisamente, a proatividade.

Reatividade

Pessoas reativas são aquelas que respondem a estímulos de forma quase que automática.

Quem tem característica reativa pode não pensar tanto antes de responder, o que é até bom em certas situações — como aquelas em que o profissional está sob pressão e precisa tomar atitudes rápidas — mas, em vários outros casos, se torna algo relativamente negativo.

A característica reativa é facilmente alterada por estímulos externos, já que não existe muito tempo ou espaço para relativizar e pensar melhor nas coisas.

Pense neste exemplo hipotético e não generalizado: ao receber uma resposta mal-humorada do chefe em uma segunda-feira de manhã, uma pessoa reativa acaba não pensando muito nos fatores externos e pode responder ao mau-humor com ainda mais hostilidade.

No caso da pessoa proativa, o fator externo vai ser levado em consideração, afinal, todos temos dias ruins, não é mesmo?

Além disso, segundas-feiras podem deixar qualquer pessoa de cabeça quente, então, que tal respirar e compreender se, de fato, aquela pessoa quis causar desconforto com sua fala, trabalhando a empatia em situações desse tipo?

Quem leu este conteúdo também se interessou por:
👉 Priorização de Projetos: conheça os 6 melhores métodos
👉 Profissões do futuro: 11 áreas para você ficar de olho
👉 O que 5 lideranças femininas têm a dizer sobre o mercado de trabalho
👉 Ferramentas de gestão: quais são as principais e como usá-las

As principais vantagens em ser proativo

Agora que falamos um pouquinho sobre a proatividade, seu conceito e diferença em relação a outros termos, é hora de saber quais são as principais vantagens de ser um profissional mais proativo.

Será possível prever situações delicadas

E agir melhor quando elas acontecerem! Afinal, quem é que gosta de tomar decisões sob pressões externas?

Deve ser muito difícil encontrar uma pessoa que tem prazer em receber a notícia de que uma demanda supercomplicada precisará ser entregue na manhã seguinte.

Quando a característica proativa é desenvolvida em uma pessoa, essas situações vão se tornar cada vez mais raras — acontecendo realmente apenas em casos em que o fator externo foi mais forte.

Digo isso pelo seguinte (e muito simples) motivo: estar interessado na situação da equipe como um todo faz com que o profissional esteja a par do que vem acontecendo no seu ambiente de trabalho.

Dessa forma, quando uma atmosfera negativa começa a surgir no ar — seja um cliente complicado, dificuldade em executar as tarefas no prazo, falta de orçamento para colocar os projetos em prática —, o proativo já vai estar preparado para agir.

O conhecimento aumenta a cada dia

Desconheço sensação melhor profissionalmente do que a de se sentir inteligente e útil. A frustração — e fenômenos como o Burnout e a Síndrome do Impostor — podem ser ainda mais agravados quando existe uma atmosfera morosa no dia a dia.

A sensação de estar estagnado e de não conseguir aprender mais faz com que pensamentos de autossabotagem ganhem espaço na própria mente.

Aprender nunca é demais e, em um mercado de trabalho que vive momentos desafiadores, você deve ser a melhor versão profissional possível de si mesmo.

Eu sei, você sabe e, provavelmente, todo mundo que já trabalhou pelo menos uma vez na vida tem em mente que chega um momento no qual é difícil pensar em estudar e expandir a gama de conhecimento.

A rotina de trabalho se torna cansativa e, de fato, imaginar uma “carga de trabalho maior” pode dar preguiça só de pensar.

Profissionais proativos, porém, não vão pensar nos contras em estudar, fazer um curso ou ler um artigo diariamente. A característica de fazer acontecer e não ficar parado aumenta (e muito!) a gama de conhecimento.

Essa, por sua vez, é uma característica altamente valorizada no mercado, podendo trazer inúmeros benefícios em curto, médio ou longo prazo.

A gestão do tempo melhora

Pense naquela pessoa que está sempre correndo: demandas atrasadas, mil reuniões, fatores externos que acabam por comprometer as entregas e, em meio à outras características negativas, prejudicam a rotina daquele profissional.

Procrastinar — ou “deixar para depois” —- atinge muito mais gente do que você imagina. Em um primeiro momento, talvez, seja possível passar por cima da situação e dar aquele jeitinho de entregar, mas saiba que, muito provavelmente, você vai estar sempre correndo.

Pessoas proativas conseguem gerir seu tempo de forma muito melhor, já que lidam com as demandas de forma prática e ágil: chegou tarefa nova? Tratemos logo de fazê-la, afinal, deixar para depois vai apenas comprometer todo o processo de entrega!

Não deixar as entregas para a última hora contribui, inclusive, com o processo de lidar com metas e alcançá-las melhor.

3 maneiras de se tornar mais proativo

Já deu para entender que a proatividade pode ser aquilo que faltava para impulsionar ainda mais a sua carreira?

Se sim (ou se você ainda precisa de mais um empurrãozinho), vou mostrar 3 maneiras simples e aplicáveis no dia a dia para se tornar alguém mais proativo.

Não reclame, traga soluções!

Uma característica que vem morrendo junto com os velhos hábitos do mercado de trabalho é a famosa reclamação. Lidar com alguém que reclama com alta frequência era muito mais tolerável no passado. Agora, essa característica é abominável!

É claro que nem tudo — ou todos os dias — são flores. Reclamações existem e, quando elas são bem fundamentadas, não devem ser guardadas para si mesmo.

Que tal, porém, mudar um pouco o seu mindset, ou seja, a forma de vê-las? Pense no seguinte: sempre que você tiver alguma reclamação a fazer, primeiramente, pense no quanto ela é construtiva.

Vale a pena chamar algum colega de trabalho ou até mesmo seu superior para falar a respeito? Se não, guarde para si ou fale com alguém fora do trabalho. Não contamine a equipe com reclamações sem motivo!

Se valer a pena, cultive o hábito de, para cada reclamação, ter uma proposta de melhora.

Nunca (apenas quando realmente não tem jeito) chegue com a reclamação sozinha. Depois de analisar a situação e identificar o problema, você vê uma possibilidade positiva de lidar com ele? O que pode ser feito?

Questione-se

O autoconhecimento é um grande caminho para atingir a proatividade. É importante se questionar a todo momento: como você se vê profissionalmente? Aonde quer chegar nos próximos meses? Quais características acredita que precisa melhorar? Quais são aquelas que devem ser valorizadas?

Quando nos tornamos profissionais mais questionadores a respeito do nosso próprio trabalho, sabemos exatamente o que deve ser valorizado e o que deve ser jogado fora.

Aquela questão de reclamar o tempo todo, assim como outras atitudes não muito positivas no mercado de trabalho, vão sendo eliminadas à medida que posições importantes tomam lugar e a proatividade é desenvolvida.

Organize-se e coloque a mão na massa!

Não dá para ser proativo em meio a uma rotina de trabalho bagunçada e sem perspectiva. Depois de organizar suas próprias demandas e ter uma visão ampla da sua rotina de trabalho, será possível entender questões-chave como a viabilidade das tarefas. 

O tempo atual é suficiente para fazer tudo que é designado a você?

Em meio à organização, tenha um espírito de liderança e se responsabilize por suas ações. O que você pode fazer para melhorar sua rotina de trabalho? Como pode transformar os prazos em algo mais atingível — sempre com qualidade?

Depois de “varrer a casa” e entender a situação do trabalho, é hora de colocar a mão na massa e se tornar muito mais do que um executor. Proponha melhorias, se faça presente e mostre que você vê além daquilo que foi designado.

Acredite em mim: o mercado de trabalho valoriza muito aquelas pessoas que pensam além das funções atribuídas!

Se você gostou deste conteúdo e acredita que a proatividade é imprescindível para qualquer profissional, aprenda a aperfeiçoar suas características de liderança e destaque-se ainda mais no mercado de trabalho!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *