Saiba como fazer conteúdo humanizado e por que ele é importante para a sua empresa

Um conteúdo humanizado consegue se conectar com as pessoas. Elas querem resolver necessidades e problemas da sua vida, sentir suas emoções e se relacionar com confiança e afeto — e o seu conteúdo tem esse poder. Saiba agora como humanizar o que você produz no marketing digital da sua marca.

conteúdo humanizado

O marketing de conteúdo é feito de pessoas. É feito por e para seres humanos, que são únicos, têm seus gostos e interesses, dúvidas e necessidades, emoções, sentimentos, crenças e afetos. Por isso, o conteúdo humanizado precisa ser uma prioridade do marketing.

Nos últimos anos, a internet viu a produção de conteúdo digital crescer exponencialmente. As empresas passaram a criar milhares de artigos, posts e vídeos no marketing digital. Porém, muitas delas focaram apenas no volume de publicações, principalmente diante da pressão dos algoritmos.

Só que existem pessoas do outro lado da tela. E elas esperam que o conteúdo seja interessante, resolva suas dúvidas e atenda às suas necessidades. Quando isso acontece, significa que a marca tem um conteúdo humanizado, que consegue se conectar com as expectativas e emoções do ser humano para quem ele foi produzido.

Neste artigo, você vai entender melhor o que significa criar conteúdo humanizado, sem deixar que a sua produção se torne mecanizada e irrelevante para as pessoas. Acompanhe agora para saber como fazer isso!

    Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

    Não se preocupe, não fazemos spam.

    O que é conteúdo humanizado?

    Conteúdo humanizado é aquele que compreende a realidade da persona e se conecta com os seus interesses, necessidades e emoções, com o objetivo de criar uma relação de confiança com o seu público.

    O conteúdo humanizado faz parte do conceito de human experience ou experiência humana, que coloca o ser humano no centro das estratégias de marca. A mentalidade não é mais centrada no usuário (user experience) ou no consumidor (customer experience), mas no ser humano que se relaciona com a marca.

    Afinal, as pessoas não se resumem a meros consumidores, compradores, muito menos um alvo a ser atingido. Elas são seres humanos — cada um com seus gostos, dores, desejos, necessidades e toda a sua complexidade.

    Portanto, o conteúdo humanizado é centrado nas pessoas — não nos produtos da empresa, no volume de publicações, nem na velocidade da produção. Esse tipo de conteúdo conversa com as pessoas, entende o que elas precisam saber e entregam algo de valor para a sua vida. 

    Sabe aquele artigo que parece que foi feito especialmente para você? Ou aquele vídeo que mexe com as suas emoções? Quem produziu esses materiais conseguiu humanizar seu conteúdo e se conectar com você.

    Já aqueles conteúdos superficiais, que não se conectam com a realidade e não entregam valor algum, perdem a sua relevância. Parece até que foram produzidos por robôs, não é? Eles esquecem que há uma pessoa do outro lado lendo aquele texto ou assistindo àquele vídeo.

    Qual a importância de humanizar o conteúdo?

    Um conteúdo humanizado tem o poder de se conectar com as pessoas e fortalecer o relacionamento da marca com o seu público.

    Quando as pessoas acessam um conteúdo na internet, elas não querem perder tempo, como acontece com textos superficiais e genéricos. O que elas querem é resolver uma dúvida, aprender sobre algum assunto ou simplesmente se entreter. Se o conteúdo consegue cumprir essa função, significa que ele foi feito por e para pessoas.

    Dessa forma, o marketing se fortalece. Os consumidores criam confiança naquela marca, porque ela mostra que entende as suas necessidades e quer ajudar a resolvê-las. O público se engaja com a marca, porque sabe que ela pode oferecer mais conteúdos do seu interesse.

    Na prática, esse envolvimento se transforma em fidelização dos consumidores e em mais vendas e faturamento para a empresa. 

    Algumas estatísticas ajudam a entender a importância da humanização do conteúdo. De acordo com uma pesquisa da Salesforce, 73% dos consumidores esperam que as marcas entendam suas necessidades e expectativas. Porém, apenas 51% acham que as marcas realmente conseguem fazer isso. Portanto, existe um gap entre expectativa e realidade.

    Esses percentuais ainda se acentuam nas novas gerações. Isso mostra que criar conteúdo centrado nas pessoas e nas suas dores não é apenas uma necessidade atual, mas uma tendência ainda mais forte para o futuro.

    conteúdo humanizado

    Além disso, um relatório da Deloitte mostra que o marketing centrado no cliente não traz apenas ganhos de branding e relacionamento, mas também retorno financeiro. Segundo o dado, as empresas centradas no cliente são 60% mais lucrativas que as empresas não focadas. 

    Por isso, centrar as estratégias nas pessoas é também uma das prioridades dos negócios na sua transformação digital.

    Outra pesquisa, da Sprout Social, mostra que, quando as pessoas se sentem conectadas com uma marca, elas ficam mais dispostas a comprar dela em vez de um concorrente, recomendar a um amigo, ser fiel a ela e gastar mais com seus produtos, como você pode ver no gráfico abaixo:

    conteúdo humanizado

    11 dicas para implementar um conteúdo humanizado

    Agora, vamos entender melhor como humanizar o conteúdo? A principal dica é lembrar que existe uma pessoa do outro lado da tela — e é com ela que você quer conversar. Agora, veja todas as outras dicas para você criar conteúdo humanizado para a sua marca:

    Conheça a sua persona

    A persona é a representação do seu cliente ideal, com quem você quer conversar e estreitar o relacionamento. Conhecer o perfil da sua persona, suas dores e necessidades e a forma como ela se comunica é essencial para criar um conteúdo mais humanizado.

    A persona deve ser criada com base em dados reais sobre os seus clientes. Analise o perfil dos visitantes do seu site, entreviste clientes fiéis à sua marca, envie questionários para a sua base de emails.

    Essas são algumas formas de captar a realidade do seu público e criar conteúdos que atendam às suas necessidades e interesses, em vez de criar publicações baseadas em ideias da sua cabeça. O marketing data driven é importante para humanizar o conteúdo de forma eficiente.

    Desenvolva a empatia

    A produção de conteúdos humanizados pede uma boa dose de sensibilidade. Muitas vezes, a frieza dos dados pode se afastar um pouco da humanidade das pessoas, que se transformam em dados, números e gráficos. Então, exercite a empatia para entender melhor a sua persona.

    A empatia é uma capacidade valiosa para humanizar os conteúdos. Com ela, você consegue entender o mundo aos olhos de outra pessoa e se conectar com emoções dela — nesse caso, dos seus clientes.

    O que eles estão sentindo? Por que estão sentindo isso? O que eles precisam saber? Como podem resolver suas dores da melhor forma? Como você pode melhorar a vida dessas pessoas? Assim, essas questões ajudam a tornar o seu conteúdo mais sensível às dores das pessoas.

    Dê espaço para o slow content

    Para produzir conteúdo humanizado, você precisa focar na qualidade. Não adianta escrever qualquer coisa, só para ter mais publicações no blog e nas redes sociais ou cumprir uma tabela de produção que não faz sentido. Isso gera conteúdos genéricos, que não se conectam com as pessoas.

    Então, talvez seja hora de frear o ritmo da produção de conteúdos. O slow content é um movimento que vem se fortalecendo, especialmente entre os criadores de conteúdo, que entram em uma velocidade frenética de produção para atender às exigências dos algoritmos.

    Um conteúdo desacelerado, por outro lado, pode ser melhor produzido, com mais tempo de pesquisa e planejamento, com mais dados e informações e, principalmente, com mais significado para as pessoas.

    Invista em storytelling

    Contar histórias ajuda a se conectar com as emoções das pessoas. Desde pequenos, ouvimos as histórias dos nossos avós sobre como era o mundo antigamente. Os olhos brilham e o coração palpita com histórias de heróis e vilões, príncipes e princesas. No nosso dia a dia, mergulhamos em narrativas de filmes, séries e novelas depois de um dia de trabalho. 

    Histórias estão na essência do ser humano. Por isso, o storytelling — a arte de contar histórias — é uma das técnicas mais eficientes do marketing. Na produção de conteúdo, a contação de histórias consegue engajar as pessoas, despertar sua atenção e mexer com suas emoções.

    O perfil da Natura no Instagram é um exemplo de como usar o storytelling na produção de conteúdo humanizado. No vídeo abaixo, por exemplo, a marca convidou uma artista e um cientista para contar sobre sua relação com a Amazônia.

    Perceba que os produtos são coadjuvantes — o que importa é mostrar as histórias desses dois personagens e os valores da marca que estão por trás dessa narrativa.

    Clique na imagem para ver o vídeo.

    Compartilhe os valores da sua empresa

    As marcas atualmente têm personalidade como qualquer pessoa. Elas se expressam de uma forma única, tem gostos e interesses próprios, defendem causas e assumem compromissos. A partir do Marketing 3.0, os consumidores querem que as marcas tenham posicionamento.

    Então, quando uma marca expressa os valores que são seus pilares, ela se torna mais humana. As pessoas se identificam com o que a marca defende e personifica.

    Nos conteúdos humanizados, esses valores podem aparecer de forma implícita nas histórias que a marca conta, na linguagem que ela utiliza e nos assuntos que aborda.

    A marca de lubrificantes K-Y, por exemplo, mantém um blog chamado #euquerogozar. Nas publicações, valores importantes, como o autoconhecimento e o prazer feminino, estão por trás das publicações, reflexões e histórias que a marca traz para o conteúdo.

    conteúdo humanizado

    Crie uma comunidade com seus clientes

    Criar uma comunidade com os seus clientes ajuda a marca a se aproximar das pessoas. Quando ela interage de forma mais próxima com os clientes, consegue entender melhor suas dúvidas, angústias, necessidades e comportamentos. Assim, é possível escrever conteúdos melhor direcionados para a persona e, portanto, mais humanizados.

    Existem várias maneiras de fazer isso, como criar grupos nas redes sociais, oferecer eventos online ou criar uma área exclusiva para membros no site. Nesses espaços, você pode oferecer conteúdos também exclusivos, que se comunicam diretamente com essas pessoas e humanizam ainda mais a relação com a marca.

    Use uma linguagem mais próxima da sua audiência

    A linguagem é determinante para as relações entre as pessoas. A forma como alguém se expressa, para além do conteúdo do que está falando, é determinante para a comunicação. As expressões, os gestos, o tom de voz, o volume da fala — tudo isso comunica.

    Então, se você quer humanizar o conteúdo, precisa também pensar nessas nuances da linguagem da marca. Defina uma forma de comunicação que faça as pessoas se identificarem e se sentirem à vontade com a sua marca, como se estivessem falando com um amigo.

    A Salesforce, por exemplo, define a voz da marca como honesta, útil, inspiradora e acessível. E são essas características de linguagem que devem aparecer em todo conteúdo que a empresa produz.

    Mostre pessoas que estão por trás da sua marca

    Uma das melhores forma de humanizar o conteúdo é mostrar que a marca é feita por pessoas. Dessa forma, você consegue se aproximar dos seres humanos que se relacionam com ela — eles entendem que, na verdade, estão se relacionando com outras pessoas, o que faz muito mais sentido.

    Nos artigos para o blog, por exemplo, você pode convidar especialistas da empresa para falar sobre suas áreas. Nas redes sociais, fotos de bastidores ou vídeos sobre o processo de produção ajudam a mostrar o que acontece por trás das cortinas.

    Além disso, os próprios colaboradores podem criar conteúdos em seus perfis. Existe uma tendência chamada de employee advocacy, que transforma os colaboradores em defensores da marca nas redes sociais e até em influenciadores digitais.

    Segundo pesquisa da Sprout Social, 72% das pessoas se sentem mais conectadas com uma marca cujos colaboradores compartilham conteúdo nas redes sociais. Elas gostam de conhecer esses colaboradores, saber que existem pessoas reais por trás dos conteúdos e confiam mais nelas do que nas próprias marcas.

    employee advocacy makes consumers feel more connected to brands

    Não fale apenas dos seus negócios

    As pessoas que acompanham a sua marca não querem saber apenas do seu produto, das suas ofertas e promoções. Isso também é importante, claro, mas elas querem participar do universo da sua marca, que envolve muito mais que vendas.

    Blogs e redes sociais não são canais apenas para publicidade, mas principalmente para relacionamento. Então, você pode usar conteúdos humanizados para educar, informar ou entreter. Eles podem ser combinados com publicações comerciais usando o princípio 80/20:

    • 20% dos conteúdos devem falar sobre produtos, ofertas e promoções;
    • 80% dos conteúdos devem tratar de assuntos relacionados ao universo da marca, como dicas, explicações conceituais, dados de pesquisas, entre outros.

    Mas, ao aplicar esse princípio, analise a realidade da sua marca e do seu mercado. Esses percentuais não são uma regra, mas ajudam a orientar o equilíbrio dos conteúdos.

    Crie recomendações personalizadas

    Personalização é um dos pilares da humanização do conteúdo. Você cria conteúdos para cada pessoa, que se sente única e valorizada pela marca. Muitas vezes, isso acontece por meio da automação, que permite escalar a produção de conteúdos personalizados.

    Porém, personalizar posts de blog e redes sociais fica um pouco difícil… Não tem como, por exemplo, criar uma publicação no feed para cada seguidor da marca, não é?

    Por isso, uma forma de personalizar esse tipo de conteúdo é enviar emails com recomendações personalizadas de artigos e publicações, de acordo com os interesses e comportamentos de cada pessoa. É um tipo de curadoria de conteúdo, que aproxima ainda mais os consumidores e a sua marca.

    Converse com as pessoas

    Seres humanos conversam. Esse tipo de interação está na nossa essência! Por isso, se você quer humanizar o conteúdo, procure conversar com as pessoas. Elas querem falar e ser ouvidas — e, se você der espaço para isso, elas vão se sentir muito mais conectadas com a sua marca.

    Para isso, é interessante adotar um tom conversacional nos seus conteúdos, como se estivesse falando diretamente com os leitores do seu blog ou seguidores nas redes sociais. Além disso, responda comentários e mensagens, curta as publicações dos usuários e republique os posts dos clientes — o conteúdo gerado pelo usuário é cada vez mais valioso no marketing digital.

    A pesquisa da Sprout Social que já mostramos aqui traz também outro dado interessante: curtir ou responder para um usuário é a principal forma de conectar marcas e consumidores nas redes sociais. Viu como não é nada complexo? As pessoas só querem se sentir valorizadas!

    conteúdo humanizado

    Veja que produzir conteúdo humanizado não é um mistério. Você só precisa adotar algumas práticas para despertar a essência das pessoas, tanto daquelas que produzem o conteúdo, quanto daquelas que o consomem. A humanidade da sua marca está justamente no poder de se relacionar com todos esses seres humanos que estão à sua volta.

    Agora, saiba que existem outras formas de humanizar a sua marca que vão além da produção de conteúdo.Os chatbots, que podem ser usados no atendimento ao cliente e na criação de experiências de marca, são automatizados, mas também precisam de um toque humano. Então, leia mais sobre como criar uma experiência mais eficiente com chatbots na sua empresa.

    Compartilhe
    facebook
    linkedin
    twitter
    mail

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Posts Relacionados

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!