Programador de site: o que levar em conta na hora de contratar um

O programador de site é o profissional encarregado de desenvolver o site da sua empresa que precisa atender os objetivos que ela tem. Para que você não tenha dúvidas sobre esse tipo de contratação, produzimos este artigo em que apontamos tudo que você precisa saber a esse respeito.

programador de site

    Site é o principal canal da sua estratégia de Marketing Digital, por isso é fundamental ter um que seja capaz de atrair visitantes e gerar negócios para a sua empresa. Logo, contratar um programador de site é imprescindível para que esse trabalho seja executado.

    Porém, você sabe qual tipo de programador é o ideal? Quais pontos devem ser considerados ao contratar um? Para saber as respostas destas perguntas, continue a leitura deste post! Passaremos pelos pontos abaixo.

    Quais são os tipos de programador de site?

    Existem três tipos de programadores de site: front-end, back-end e full-stack. Vamos conferir agora as características de cada um e as diferenças entre eles.

    Programador Front-End

    O programador front-end é aquele que trabalha com as partes do site que os usuários consegue ver assim que o acessam. Por isso, esse tipo de programador tem maiores conhecimentos de design e capacidade em criar sites que sejam esteticamente bonitos.

    Portanto, ao contratar um front-end, pontos que envolvam a identidade visual do site e formas de como deixar o layout mais atraentes certamente fazem parte da pauta das primeiras reuniões.

    Porém, como a função dele é de desenvolvedor e não de designer, ele também tem conhecimentos de programação. Embora eles possam não ter a habilidade de criar um código, devem ser capazes de trabalhá-los ao criar um site.

    Apesar de CMS como o WordPress contarem com a facilidade de usar templates que já venham com um layout pré-pronto, além de plugins que contribuam com a inserção de itens visuais, é importante que o programador execute essas tarefas, pois ele as fará com excelência e tomando cuidado para que tais instalações não deixem o seu site lento.

    Programador Back-End

    O programador back-end é quem trabalha “por trás das cortinas” de um site, ou seja, ele opera toda a sua infraestrutura e banco de dados. Portanto, uma de suas responsabilidades é garantir que o funcionamento do site ocorra corretamente.

    Normalmente, o desenvolvedor back-end não trabalha com criação de sites, pois não tem um conhecimento estético tão grande quanto os profissionais de front-end. Em compensação, ele tem plenos conhecimentos de tudo que envolve o servidor de hospedagem, razão pela qual também é conhecido como server-side.

    Além disso, ele também conhece as mais variadas linguagens de programação, o que permite trabalhar não apenas com HTML, mas também com PHP, Javascript, Python, entre outras.

    Programador Full-Stack

    Por fim, o programador full-stack é considerado o mais completo, pois ele trabalha tanto com front-end quanto com back-end, tornando-o um tipo de profissional cada vez mais requisitado no mercado.

    Contudo, é importante lembrar que um desenvolvedor full-stack, apesar de conhecer bem as duas frentes, pode ter um ponto forte em termos de especialidade. Por exemplo: por mais que ele consiga cuidar de todas as etapas do projeto, talvez ele tenha mais habilidades referentes à estrutura e banco de dados que são características do trabalho de back-end.

    Isso faz com que o programador full-stack seja comumente visto como um profissional T-Shaped. O motivo desse nome é porque a parte de cima da letra T representa a especialidade em que o desenvolvedor mais tem conhecimentos enquanto a parte vertical do T demonstra que ele consegue cuidar do projeto todo, mesmo que não conheça de forma profunda todas as áreas que o envolvem.

    O que levar em conta ao contratar um programador de site?

    Agora que você sabe quais são os tipos de programadores, vejamos o que deve ser considerado antes de fazer a contratação desse tipo de profissional. 

    Conheça os trabalhos anteriores do programador

    É comum vermos em salões de beleza fotos dos cortes e tratamentos capilares realizados nos clientes para que as pessoas saibam o nível de qualidade do serviço. Na hora de contratar um profissional responsável pela criação do seu site, o cenário não é diferente.

    Afinal, criar sites (ou até mesmo blogs) requer etapas que se diferenciam entre os projetos. Por isso, o programador precisa conhecer bem a sua marca e objetivos de negócio para deixá-los claros no site da sua empresa cuja proposta é diferente das outras.

    Por isso, peça o portfólio para conhecer os trabalhos anteriores do programador a fim de conferir se ele tem a versatilidade de atender empresas com vieses diferentes e, assim, criar sites únicos de acordo com as suas necessidades.

    Hoje em dia, configurar o WordPress no servidor e instalar um template não é um trabalho difícil, por isso certifique-se de que o programador não realize somente isso, mas o desenvolvimento do site como um todo.

    Se você não souber programação, não tem problema. Para saber como cada site que consta no portfólio foi criado, peça informações sobre os detalhes que te chamarem a atenção para saber como foram feitos.

    Em seguida, detalhe o que você precisa no seu site para saber como o trabalho será realizado de maneira que ele não apenas será do seu agrado, mas também cumprirá com as funcionalidades adequadas do seu negócio.

    Busque referências

    Por mais que você conheça os trabalhos anteriores do programador e sinta que ele captou bem o que a sua empresa precisa em termos de site, falta saber algo importante: o que os clientes dele acham sobre o trabalho realizado? Para saber a resposta, é preciso buscar referências.

    Geralmente, empresas que trabalham com desenvolvimento de sites deixam ao dispor de seus visitantes os cases de sucesso que contam as histórias de cada cliente assim como os depoimentos deles sobre o que acharam da qualidade do serviço.

    Se o programador com quem você está em contato não tiver uma página dedicada a cases ainda, você pode pedir referências de clientes que tiveram seus sites produzidos por ele.

    Ao contrário do portfólio, ao pedir referências, o programador pode apontar sites cujo processo de feitura e objetivos se assemelham aos seus para que você sinta o gostinho de como ficará tudo quando o projeto estiver concluído.

    Além disso, entre em contato com as referências passadas por ele. A maioria dos desenvolvedores pode ser relutante em passar os contatos diretos dos seus clientes (afinal, isso requer a permissão deles). Mas, caso o contato esteja disponível nos sites desses clientes, não há problema em procurá-los para saber o que acharam do serviço prestado pelo programador referente à criação do site. 

    Verifique os prazos de entrega

    Por mais que a criação de um site pareça simples, não significa que o processo seja rápido. Afinal, o programador deve iniciar o projeto com reuniões que têm como objetivo levantar suas finalidades e elementos visuais para a criação do site.

    Há quem pense que essas primeiras etapas são morosas, porém, são cruciais para que o site seja desenvolvido da maneira que você quer. Esse é um trabalho feito a quatro mãos que envolve o desenvolvimento por parte do programador e os seus avais em cada etapa para que o projeto possa avançar.

    Para que isso seja realizado de forma efetiva, o site precisa ter um cronograma a ser seguido. Ele traz todas as fases do projeto assim como as datas de entrega de cada uma.

    O cronograma é muito importante para que você não fique perdido no andamento do projeto. Sabe aquele pensamento de “o que o programador está fazendo neste momento”? A partir do cronograma você sabe precisamente em que estágio o site está e qual é o próximo.

    Como dissemos, criar um site é um trabalho em conjunto que envolve cumprimentos do desenvolvedor e também seus. Portanto, tenha atenção aos seus prazos para que a entrega ocorra conforme o planejado.

    Se o programador disser que precisa da sua aprovação referente ao layout até quarta-feira às 18 h, faça isso. Do contrário, a conclusão do site atrasará e quanto maior o número de dias em que ele não está no ar, menores são as chances de fechar novos negócios pela internet.

    Confira como funciona o suporte

    Ainda que você saiba operar a nível básico plataformas como o WordPress ou Blogger, problemas e dúvidas podem surgir depois que o site fica pronto. Vamos ver alguns exemplos mais recorrentes?

    Pode ser que o seu servidor solicite uma atualização do PHP e, ao fazê-lo, o acesso ao wp-admin deixe de funcionar.

    Ao instalar um novo plugin, ele pode entrar em conflito com o seu tema e isso gerar, como consequência, a quebra do layout do site.

    Se por alguma razão você perder arquivos do seu site, será necessário realizar um backup. Mas, você sabe como fazer isso?

    Para resolver esses pontos e outros que possam surgir, é fundamental que o programador preste um serviço de suporte. Muito embora a maioria das pessoas pense que o suporte se resuma unicamente a sanar problemas técnicos, não é só isso. Igualmente o desenvolvedor que fez o seu site precisa conhecer o objetivo de negócio por trás dele para orientar as melhores práticas que te façam chegar lá.

    Trate de saber também quais são os dias e horários de suporte. Algumas empresas podem oferecer suporte 24 horas por dia, mas demorar mais do que isso para resolver. No Stage, por exemplo, o atendimento ocorre em dias úteis durante o horário comercial, mas o tempo de resolução é de 24 horas.

    O que é melhor: contratar uma empresa ou um programador freelancer?

    Imagino que você esteja se fazendo essa pergunta agora, certo? Existem situações diferentes para os dois tipos de contratação, as apontamos para que você conheça. 

    Quando contratar um freelancer

    Geralmente, a contratação de freelancer ocorre quando é necessário realizar alguma função específica dentro do seu site. 

    Vejamos um exemplo: imaginemos um site que ofereça um curso online, que usa o WordPress como CMS, uma plataforma de EAD para hospedar as videoaulas e materiais do curso e uma ferramenta financeira para receber o pagamento das matrículas. 

    A princípio, cada operação precisa ser feita separadamente, mas para que a experiência do usuário seja boa, o ideal é que todas elas sejam integradas. Este é um tipo de situação em que você pode contar com um programador freelancer (no caso, um back-end).

    Quando contratar uma empresa

    Freelancers também podem criar sites, mas como sites corporativos podem precisar de maior estrutura e suporte, o ideal é contar com o serviço prestado por uma empresa que conte tanto com os desenvolvedores quanto time de suporte.

    Além disso, num momento inicial, você também consegue ter o contato com o representante comercial da empresa cuja função não é somente vender o produto, mas explicar como o site criado será capaz de atender as necessidades que você tem para o negócio.

    Ao considerar os pontos que trouxemos neste artigo, você conseguirá contratar o programador de site ideal para o seu objetivo. Caso esteja se perguntando que tipo de empresa pode prestar esse serviço, apresentamos o Stage!

    Desenvolvido pela Rock Content, o Stage é uma solução para a criação de sites em WordPress. Clique aqui para conferir o que ele pode fazer por você

    Compartilhe

    Inscreva-se em nosso blog

    Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

    Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

    Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade da Rock Content!

    Nosso site é otimizado para cada país em que operamos.

    Ir para site em Português ->