Uma retrospectiva sobre o comportamento do consumidor em 2022 e previsões para 2023

retrospectiva comportamento consumidor

Precisando de conteúdo para sua empresa? Encontre os melhores escritores em WriterAccess!

A pandemia de Covid-19 foi sem dúvidas um grande impulso para a aceleração tecnológica e as mudanças em relação ao comportamento dos consumidores. Tendências foram antecipadas, novos comportamentos surgiram – desde a forma como as pessoas pesquisam (a Geração Z usa mais o TikTok do que o Google para fazer pesquisas), até o que as pessoas esperam na hora de comprar e se relacionar com as marcas (como o propósito real da marca e uma boa experiência do usuário) – e novas tecnologias entraram no radar dos usuários, como por exemplo o Metaverso, causando mudanças profundas no comportamento do consumidor em 2022 e acelerando as tendências para o ano de 2023. 

Neste artigo, revisaremos as principais pesquisas e tendências de comportamento de usuários e consumidores em 2022, além de fazer previsões sobre o que esperar (e como se preparar!) para 2023.

As pessoas querem interatividade, gamificação e conteúdo diversificado

No ano de 2022, o Marketing Digital potencializou novas formas de consumir e criar conteúdo – como no caso da ascensão dos vídeos curtos para educar e informar a audiência – dentre elas, o conteúdo interativo se mostrou um formato muito eficaz para diferenciar as marcas e torná-las memoráveis para seu público, ficando na mente dos consumidores.

De acordo com uma pesquisa feita pelo Content Marketing Institute (CMI), 88% dos profissionais de marketing entrevistados afirmaram que o conteúdo interativo desempenha um papel muito importante na diferenciação de suas marcas. Além disso, a pesquisa mostra também que o conteúdo interativo entrega 52,60% mais engajamento, o que reforça o interesse dos consumidores por esse formato diferente de conteúdo. 

Reforçando a ideia da interatividade, grandes empresas do mercado também apostaram nesse tipo de conteúdo em 2022 para atrair – novos clientes –  e encantar os já existentes. Como é o caso do Spotify que adquiriu o Heardle, um jogo de perguntas e respostas para os apaixonados por música. O objetivo do game é fazer com que os ouvintes tentem adivinhar qual é a música logo nos primeiros segundos da melodia.

Além do Spotify, a Netflix também causou ao adquirir um estúdio de videogames. Essa estratégia teve o intuito de trazer os jogos para a plataforma de streaming, fazendo com que as pessoas não apenas assistam filmes ou séries de TV, mas também se envolvam mais, criando uma experiência mais completa ao usuário. 

A interatividade, definitivamente, é uma das fortes tendências para 2023. Ela ajuda as empresas a oferecerem uma experiência diferenciada para seu público, deixando nas mãos do consumidor o poder de escolher como deseja consumir esses conteúdos, gerando mais conexão e intimidade entre as marcas e o público. 

Diversidade, Equidade e Inclusão também são questões importantes

A representação segue impactando fortemente as decisões de compra dos consumidores, especialmente daqueles que se enquadram na Geração Y e Z, também chamados de Geração P (propósito), que, segundo o Global Consumer Pulse Research , estudo feito para a Accenture, representam quase 5 bilhões de pessoas.

Em outra pesquisa, feita pela Adobe, 38% dos entrevistados disseram que são mais propensos a consumir produtos e serviços de marcas que mostram diversidade em seus anúncios, e 34% já boicotaram uma empresa ou marca pelo menos uma vez porque não sentem que suas identidades foram representadas nas propagandas ou ações das empresas. 

Outro ponto crucial quando falamos de Inclusão, é a acessibilidade digital. Atualmente, cerca de 15% da população mundial apresenta algum tipo de deficiência. E mesmo assim, muitas empresas ainda estão despreparadas para atender esse tipo de público.

Uma pesquisa da empresa inglesa Click-Away Pound mostrou que 69% dos entrevistados abandonam sites por falta de acessibilidade. Além disso, 86% disseram que gastariam mais se as lojas online fossem acessíveis.

Acho que é inegável o quanto a atual geração se importa com a diversidade, equidade e inclusão no digital. Por isso, para realmente se conectar com seu público, as marcas precisarão levar esse tema a sério e investir na acessibilidade digital. Além de cumprir a lei, é uma forma de se diferenciar dos seus concorrentes e superar as expectativas do seu consumidor.  

O TikTok está saindo na frente até do (pasmem) Google

Em 2022, o TikTok se consagrou como uma febre entre os jovens e adultos e continua sendo uma tendência digital fortíssima para o próximo ano. 

A força do aplicativo de vídeos é tão grande que está conseguindo tirar o reinado do Google quando o assunto é fazer pesquisas. É o que mostra um artigo publicado pelo próprio Google, onde informa que quase 40% da Geração Z prefere pesquisas no TikTok e no Instagram em vez da pesquisa do Google e do Maps.

Com a força de app, a “tiktokização” de outros aplicativos foi ganhando cada vez mais evidência. O Instagram, por exemplo, priorizou neste ano o vídeo com Reels deixando seu feed com a cara do TikTok. O Youtube também precisou se posicionar na tendência dos vídeos curtos e lançou o Youtube Shorts, com o objetivo de ajudar os criadores de conteúdo a chamar atenção do seu público com vídeos de menor duração.

Por isso, como profissional de marketing, você deve continuar atento ao TikTok e as novidades lançadas pela plataforma porque ele continuará ditando tendências no ano de 2023.

A segurança dos dados também foi um ponto de discussão relevante esse ano e continuará sendo uma preocupação dos usuários em 2023

As discussões a respeito da privacidade no meio digital, fim dos cookies de terceiros e a crescente preocupação com a LGPD, tomou conta das agências e dos setores de marketing das marcas. 

Um estudo publicado pela Adobe, com quase 6.000 consumidores entrevistados e mais de 900 líderes na região EMEA, mostrou que 70% dos consumidores estão preocupados com a forma como as empresas estão usando seus dados. 

Ainda de acordo com o estudo, 67% dos entrevistados pretendem parar de comprar de marcas que manipulam mal seus dados. Por isso, as políticas de proteção de dados devem ser levadas mais a sério em 2023. 

Clientes que confiam na marca tendem a recomendar aos amigos, repetir as compras e se tornar um promotor da empresa nas redes sociais. Esse elo de confiança entre as marcas e os usuários, com certeza, é uma tendência (e obrigação) para o próximo ano. 

O (bom) conteúdo segue em evidência

De acordo com pesquisa feita pelo Google, 87% dos visualizadores de conteúdo dizem que um bom conteúdo é pessoal e relevante. Ou seja, o bom conteúdo entrega aquilo que o usuário realmente procura com rapidez e qualidade, promovendo uma boa experiência para o público.  

Por isso, fazer conteúdo regular, sem uma estratégia definida, não é mais suficiente nos dias de hoje. As marcas precisam se preocupar em criar uma conexão com seus leitores, com um conteúdo que gere cada vez mais um senso de comunidade e pertencimento.

Assim, para os usuários do Google, por exemplo, um bom conteúdo é relevante para eles, estimulante intelectual e sensorialmente e, finalmente, emocionalmente ressonante. 

E o Metaverso?

Não poderíamos fazer uma retrospectiva do comportamento do consumo em 2022 sem  mencionar o Metaverso, não é mesmo?

Na verdade, não apenas o Metaverso, mas as novas tecnologias como: Realidade virtual, NFTs, Blockchain, e várias outras, passaram a ser cada vez mais vistas. 

E no ano de 2022, as grandes marcas buscaram alcançar seus consumidores através dessas novas experiências digitais, como é o caso do Coachella, que após dois anos de hiato – devido a pandemia – teve a sua volta em abril deste ano e contou com diversas novidades relacionadas com o intuito de inovar e criar experiências significativas para seu público.

Empresas mais tradicionais, como a Walmart, também se jogou no Metaverso procurando atingir o público mais jovem, criando espaços virtuais que oferecem conteúdo interativo e entretenimento exclusivo para seus clientes.

Já pensou da sua marca também ingressar nesse mundo?

Resumindo…

Após dois anos difíceis, o comportamento e prioridades do consumidor mudaram e 2023 promete ser o ano que veremos a maioria das tendências iniciadas neste ano se consolidando. 

Por isso, é fundamental que as marcas consigam gerar uma conexão sincera com seu público, se preocupando de fato com a segurança dos seus dados, com questões de inclusão e diversidade no digital e entregando conteúdos de qualidade com experiências incríveis para seus consumidores onde quer que eles estejam.

Quer continuar atualizado com as melhores práticas de Marketing? Então se inscreva na The Beat, o boletim interativo da Rock Content. Lá, você encontrará todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Compartilhe
facebook
linkedin
twitter
mail

Conteúdo criado por humanos

Encontre os melhores freelancers de conteúdo no WriterAccess.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Compre conteúdo de alta qualidade com a WriterAccess.

Tenha acesso a mais de 15.000 freelancers especializados em redação, edição, tradução, design e muito mais, prontos para serem contratados.